FORTALEZA
BUSCA POR SERVIÇOS
Ver todos

COLUNISTAS >

A importância dos exames sanguíneos em animais recém adquiridos

É muito importante realizar exames sanguíneos para verificar a saúde do seu animal, especialmente quando ele for adotado. Saiba mais detalhes!

Por - 11 de agosto de 2015

Sempre que adotamos ou compramos um animalzinho, especialmente quando não sabemos do seu histórico de saúde ou de sua família, é muito importante realizar exames sanguíneos para verificar a possível existência de alguma doença oculta. Muitas vezes, não é possível identificar que o animal está doente sem um exame específico. Com isso, o tratamento se inicia tardiamente, podendo acarretar em consequências como agravo do quadro patológico ou até mesmo o óbito. Esses exames são especialmente importantes em filhotes, pois possuem a saúde mais frágil. Muitas vezes o dono pode pensar: o meu animal não parece doente! Mas como nos humanos, existem doenças silenciosas, portanto é melhor prevenir do que remediar.

exames-sanguineos-caes-e-gatos

Em cães, o hemograma completo diz muito sobre a sua saúde. Algumas possíveis alterações podem ser indicativos de certas doenças mais comuns em nossa região, como a Erliquiose (popularmente conhecida como a doença do carrapato) e a Leishmaniose (popularmente conhecida como Calazar). Em ambas, o animal pode estar aparentemente saudável, porém está sendo acometido e ficando cada vez mais debilitado, podendo vir a apresentar sinais clínicos apenas tardiamente, o que compromete a eficácia do tratamento. Também existem testes rápidos para patologias graves, como a cinomose e a parvovirose, que são potencialmente fatais. Cães recém adotados ou comprados devem passar imediatamente por uma avaliação veterinária para a realização dos exames que este achar necessário.

Em gatos, além do hemograma, existem exames específicos para os vírus da Fiv (vírus da imunodeficiência felina) e Felv (vírus da leucemia felina), que estão entre os causadores de doenças infecciosas mais comuns nos gatos. São doenças transmissíveis apenas entre felinos, portanto não há riscos para o ser humano ou demais espécies. O gato acometido por alguma delas, ou por ambas, tem o sistema imunológico comprometido e são mais susceptíveis a doenças secundárias. Não existe tratamento específico para nenhuma delas, por isso o importante é evitar o contágio. Os testes de Fiv e Felv são muito importantes, pois a transmissão, especialmente da Felv, é relativamente fácil entre os gatos. Além disso, uma boa porcentagem dos gatos pode se manter assintomático por um longo período, o que torna ainda mais difícil a suspeita da doença. Por isso, se está pensando em adotar ou adotou um gatinho, realize os exames básicos para certificar que ele está saudável, especialmente se já possui um outro gato que irá dividir do mesmo espaço.

Em resumo, procure um médico veterinário sempre que adquirir um novo animal para que este possa solicitar os exames de rotina! Não se esqueça que esses exames devem ser repetidos com frequência para manter seu animal sempre saudável.

 

SOBRE O COLUNISTA

dra-raquel-garcia

Médica veterinária formada pela Ufersa. Possui atualização em clínica médica de felinos. Realizou pesquisas com castração pediátrica em felinos domésticos. Sócia da Pró-Vida Animal clínica veterinária.

Ver todas as suas publicações

 

COMENTÁRIOS

FOCINHOS NAS REDES

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados à focinhosurbanos.com.br