FORTALEZA
BUSCA POR SERVIÇOS
Ver todos

COLUNISTAS >

Administrar medicamentos em casa: os perigos da conveniência!

Administrar medicamentos de forma inadequada nos animais pode causar uma série de riscos para a saúde. Veja os perigos desse hábito!

Por - 21 de julho de 2015

Um dos acontecimentos mais comuns na rotina do médico veterinário é a administração de medicamentos realizada pelos donos aos pets. Muitas vezes a pergunta é: “Dei tal medicamento para meu gato, pode?” Ou mesmo “Eu tinha tal remédio em casa, aí eu dei. Tem problema?" Ou até “Eu dei tal medicamento porque minha mãe ou avó disse que podia e usava nos filhos?”. Bom, é preciso esclarecer que não é bem assim!

O risco a que o proprietário expõe o animal, simplesmente pela comodidade de administrar medicamentos sem um conhecimento técnico, pode custar uma vida. É preciso entender que medicamentos são drogas e que, mesmo a mais “inofensiva” delas, possui efeitos colaterais. Os fármacos que nós, veterinários, utilizamos não levam o animal ao seu estado de saúde plena como se fosse mágica. A realidade é muito mais dura, e sempre existem consequências, de menor ou maior grau, quando administramos um medicamento em nosso animal.

administrar-medicamos-focinhos-urbanos

Ao administrar um remédio por conta própria, coloca-se em risco vários sistemas e órgãos que poderão ser afetados em diversos níveis, podendo chegar ao óbito do animal. Os medicamentos são componentes químicos que modificam as funções do organismo de modo benéfico para o paciente, mas isso só acontece se a posologia for respeitada! Quando ultrapassamos as doses ou a frequência do uso, os efeitos colaterais começam a ser visíveis.

E não são apenas essas características que devem ser consideradas, temos ainda o fator biológico de cada animal, que pode ser um felino, canino, ave, peixe, dentre outros. Ou seja, cada animal é totalmente diferente do outro.

Atenção: não é porque você possui um cachorro em casa e usou tal medicamento, que poderá usar o mesmo medicamento, na mesma dose, para o seu gatinho. Às vezes, o que ajuda um animal pode ser extremamente tóxico para outro. Cada espécie é uma espécie! Além de tudo, ainda temos que levar em consideração se o animal é idoso ou jovem, se é magro ou obeso, se tem alguma doença prévia ou não. Ou seja, são vários pontos a serem abordados antes da tomada de decisão.

Mas o que pode acontecer?

Administrar um remédio de forma inadequada pode atingir o sistema cardiovascular, endócrino, imunológico, urinário, nervoso, digestivo, dentre outros, levando a desequilíbrios nos mesmos. Porém, existem dois órgãos que normalmente são os mais afetados por esse uso indiscriminado, são eles: os rins e o fígado, já que esses participam diretamente da biotransformação e eliminação dos medicamentos no organismo animal.

E você sabia que esses efeitos podem ser extrapolados para uma questão de saúde pública? O uso inadequado de antibióticos em casos de doenças infectocontagiosas e zoonoses pode levar à resistência microbiana e impossibilitar o tratamento eficaz, com os remédios já existentes, em animais e seres humanos.

Em resumo, a administração de fármacos requer um conhecimento técnico específico, já que precisamos levar em consideração vários fatores para tomar uma decisão correta e segura aos nossos animais! Sempre leve seu animalzinho ao médico veterinário e nunca aplique ou administre nada sem a recomendação do mesmo.

 

SOBRE O COLUNISTA

dr-rodrigo-paiva

Médico veterinário formado na Ufersa. Realizou pesquisas na área de toxicologia e toxinologia. Sócio na Pró-Vida Animal clínica veterinária.


Ver todas as suas publicações

 

COMENTÁRIOS

FOCINHOS NAS REDES

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados à focinhosurbanos.com.br