Cachorros de pequenos porte, cuidados ainda maiores!

Tidos como a tradução perfeita da fofura, os cachorros de porte pequeno estão entre os preferidos de muitos proprietários de pets. Opção ideal para quem mora em apartamento, os cães pequeninos são ótimos companheiros e, apesar do pouco tamanho, podem assumir o papel de cão de vigia com facilidade, dependendo de sua raça.

Com diversas vantagens em função do tamanho reduzido, esses cachorrinhos perdem menos pelos, são mais fáceis de transportar e ainda passam por banhos, tosas e passeios com mais calma e facilidade que os cachorros de porte grande. Com peso máximo por volta dos 10kg e tamanho em torno de 40cm, os cães pequenos exigem pouco espaço para viver e dão muito amor a seus donos, sendo a opção perfeita para quem quer muito carinho.

cachorros-de-pequeno-porte-focinhos-urbanos

Porém normalmente, quanto menor o cão, mais sensível ele é! Para tanto, foram lançadas rações específicas para este público: as chamada x-small (rações voltados para cães de 1 a 4kg, com grãos minúsculos, de fácil mastigação e digestão). Tem-se também um xampu para peles sensíveis, a base de plantas medicinais; vermífugos palatáveis para cães de 1 a 2,5kg. Sem falar nas roupinhas, sapatinhos, bolas de transporte e coleiras que são um arraso.

Os pequenos focinhos também apresentam cardiopatias (problemas no coração) e problemas articulares (deslocamento de patela e fraturas) com certa facilidade. Muitas vezes, os problemas articulares aparecem quando o animal pula do sofá, da cama ou saltam quando observam a aproximação do pai/mãe. Você observará o animal mancar, ter dificuldade de pôr a patinha no chão e, muitas vezes, ele não reclamará de dor. Em ambos os casos existe tratamento. Para a cardiopatia, usa-se medicamentos e faz-se check up a cada 6 meses, e nos articulares, a solução é normalmente cirúrgica.

Vale lembrar que não se usa as nomenclaturas mini, micro, zero e etc. O tamanho do animal depende, em grande parte, do tamanho dos pais. Muitos falso criadores subnutrem (dão pouca ração ao animal) e ele cresce pouco por falta de nutrientes, ou até orientam o futuro papai a fazer isso. Ao subnutrir o animal, o filhote ficará frágil e suscetível a qualquer doença. Então, compre de criadores renomados ou indicados, visitem o local de criação e, principalmente, peça para ver os pais.

Atendo muitos Yorkshires e Shihtzus, cada bolinha mais linda que a outra. Os problemas recorrentes sempre são cardiopatias em geral, estenose de traqueia (estreitamento da traqueia, causando tosse quando o animal se agita) e problemas articulares. Já os buldogues franceses e pugs, que dominarão o mundo com seu roncado charmoso, apresentam muitos problemas de pele.

Os pequenininhos são o máximo! São sensíveis, mas se tornam gigantes quando precisamos do seu carinho e atenção.

Beijos nos pingos de gente,

Até a próxima!