Catarata nos cachorros: como identificar?

De modo geral, é muito difícil prever o tempo de desenvolvimento da catarata nos cachorros. O seu surgimento pode acontecer de maneira rápida, instalando-se em poucas semanas, ou lenta, formando-se ao longo dos anos, dependendo da sua causa.

catarata-cachorros-focinhos-urbanos

A catarata canina pode ser classificada de acordo com a idade do cão.

Congênita: surge durante a vida fetal do cão, porém não significa ter origem hereditária, já que pode resultar de infecções, como as uterinas. Geralmente, afeta os dois olhos.

Juvenil: diferente do que muitos pensam, a “catarata juvenil” é a mais comum entre os cães. Costuma surgir em animais com até dois anos de idade.

Adulta: essa surge em animais com faixa etária de dois a seis anos.

Senil: manifesta-se a partir dos seis anos de idade e tem crescido consideravelmente devido ao aumento do tempo de vida dos animais domésticos.

O principal sinal clínico para a catarata canina, que pode ser observado em casa, é uma mudança visível na cor central do olho, que passa a ser de um tom azulado ou branco. Em um grau mais avançado, a catarata pode levar o animal a esbarrar em objetos, paredes ou demonstrar insegurança ao descer escadas.

O exame oftalmológico é a melhor forma de identificar a catarata canina. O diagnóstico acurado e precoce da catarata canina permite estabelecer um tratamento adequado, tornando melhor seu prognóstico.

O tratamento é cirúrgico. Troca-se a lente do olho doente por uma nova. Em Fortaleza, essa cirurgia é realizada somente pela Dra. Mirza Melo, na Optivet. Não existe um preço fixo, pois requer um investimento compatível com a complexidade do procedimento. E a melhor notícia: seu amigão recupera a visão!

E a pergunta que não quer calar é: a catarata pode voltar após a cirurgia? Não, pois a nova lente é um material não orgânico. Portanto, ao observar qualquer sintoma, leve o seu animalzinho ao amigo médico veterinário!

Abraço em todos os patudos e até mais!