Displasia de cotovelo – parte II

A articulação do cotovelo é uma articulação móvel formada pelo úmero, rádio e ulna. A displasia do cotovelo no cão (DCC) é um termo utilizado para identificar uma doença hereditária do cotovelo, em cães de raças médias e grandes. Já falamos sobre os principais sintomas e patologias que podem ocorrer na parte I deste artigo. Nesse, vamos falar um pouco sobre o tratamento. 

 

displasia-de-cotovelo-II

 

 

O tratamento da displasia de cotovelo se baseia na combinação da terapêutica clínica e cirúrgica. O objetivo do tratamento é controle de dor, manutenção do funcionamento dos membros e prevenir a progressão de osteoartrose.

 

A cirurgia é dependente do diagnóstico e é esperado o aparecimento de osteoartrose posteriormente. Se fazendo necessário uma abordagem multimodal associando medicação, fisioterapia, acupuntura, condroprotetores, controle de peso e exercícios, infiltrações intra-articulares, células tronco e cirurgia.

 

Portanto, é extremamente importante um diagnóstico preciso para que o tratamento seja eficaz. O tratamento conservativo é bem semelhante ao abordado anteriormente para osteoartrose. A displasia de cotovelo é mais comum do que imaginamos e sendo de grande importância para animais de raças médias e grandes. Os donos de animais portadores de displasia de cotovelo devem estar cientes da possibilidade de osteoartrose secundária e que há uma necessidade de terapêutica prolongada a longo prazo.

 

Fonte: Displasia de cotovelo – Bruno Peirone e Fulvio Cappellari – Revista Focus