O perigo das picadas de insetos para o seu pet!

Quem nunca levou um susto com uma aranha ou escorpião no cotidiano? Ou quem nunca teve medo picadas de insetos tomando seu refrigerante na lanchonete? Pois é, esses animais são sim uma preocupação para a saúde pública, já que são considerados peçonhentos, ou seja, produzem toxinas endógenas e são capazes de introduzi-las em outros organismos vivos.

Abelhas e vespas, apesar de não serem da mesma espécie, possuem características de envenenamento semelhantes, porém as vespas não perdem o ferrão após a picada, e os efeitos tóxicos são menos intensos do que os das abelhas. Desde 1839 temos abelhas em território nacional, e tais animais produzem toxinas que podem levar a parada respiratória, hemólise (destruição de hemácias), arritmias, efeitos neuromotores e reações de hipersensibilidade gravíssimas.

picadas-insetos-focinhos-urbanos

Alguns cuidados que devemos ter com nossos pets, e até mesmo com as pessoas, são:

1. Nunca remover ninhos ou “casas” de abelhas e vespas do seu local de origem. Apenas um profissional qualificado pode fazê-lo com segurança!

2. Evite a aproximação aos ninhos desses animais nos horários de intensa atividade, normalmente por volta de 10 a 12 horas.

3. Cuidado com o seu pet: evite que eles se aproximem de áreas onde as vespas estejam coletando materiais, por exemplo, hortaliças, arbustos, flores, galhos, troncos, folhas, frutas caídas, pedaços de carnes e lixo doméstico.

4. Tome cuidado com alguns comportamentos: barulhos, desodorantes, perfumes fortes, o próprio suor e cores escuras (preto e azul-marinho) desencadeiam o comportamento agressivo das vespas e abelhas, sabia?

» Mas o que fazer caso um desses insetos picar o seu animal de estimação?

Em caso de acidente com nossos pets, pode-se retirar o ferrão raspando com uma lâmina. Evite o uso de pinças, pois provocam a compressão e liberação do veneno ainda existente no ferrão! Caso o animal esteja sentindo muito dor, lave o local da picada e aplica uma compressa de água morna. Porém, é indispensável a visita ao do animal ao médico veterinário com urgência (de preferência com o animal responsável pelo acidente – a abelha, a vespa ou outro inseto).

Aranhas e escorpiões são, de longe, os maiores vilões causadores de problemas aos nossos animais no meio urbano. Suas picadas levam a inúmeras manifestações clínicas envolvendo todos os tipos de sistemas, desde o cardiovascular até o neurológico. Cada sintoma irá variar com a espécie envolvida, então é de suma importância que os donos consigam capturar o animal peçonhento com o devido cuidado, ou tirar uma boa foto do mesmo, para que o médico veterinário possa instituir o tratamento adequado ao seu animalzinho.

» E como podemos prevenir esse tipo de acidente?

Algumas medidas podem ser adotas, e valem também para aranhas e escorpiões:

1. Mantenha seu jardim e quintal limpos, evitando entulhos, folhas secas e lixo doméstico;

2. Evite folhagens densas junto as paredes das casas (plantas ornamentais, trepadeiras, arbustos, bananeiras);

3. Evite a aproximação dos animais de troncos podres, buracos sob pedras (presença comum de escorpiões), em sua maioria são animais de hábitos, então pode-se evitar o acesso dos nossos pets aos jardins no período da noite, vedando frestas em paredes e portas.

Uma última dica para quem mora em áreas de transição urbano-rurais: a preservação de predadores naturais de aranhas e escorpiões, como aves de hábitos noturnos (corujas), lagartos, sapos, galinhas e gansos pode ajudar a reduzir o número de acidentes e ainda ajuda a preservar o habitat natural desses animais que vem sendo tão devastado pela ação humana nos últimos anos. Pense nisso e atenção ao seu bichinho!