Obesidade em Cães e Gatos

A obesidade compromete o tempo e a qualidade de vida dos animais acometidos, sendo um problema de saúde cada vez mais importante para os cães e gatos, em decorrência das doenças e distúrbios causados no organismo. Acontece como resultado de uma maior ingestão calórica e pouco gasto de energia, que leva ao acúmulo exagerado de tecido adiposo no organismo animal, com prejuízo das funções fisiológicas. 

Considero a obesidade um misto de má nutrição, onde o paciente recebe alimentação desbalanceada e/ou inadequada e em quantidades superiores as necessidades diárias, somados a pouca ou quase nenhuma atividade física no cotidiano.

Atualmente, sabe-se que o paciente obeso, devido ao acúmulo de gordura, encontra-se em constante quadro inflamatório de todo sistema, o que pode agravar problemas ortopédicos, respiratórios e cardíacos, que prejudicam e botam em risco a qualidade e o tempo de vida do seu pet. Alguns exemplos dessas afecções são artropatias, distúrbios circulatórios, diabetes mellitus, hiperlipidemias e agravante de condições respiratórias crônicas como asma e colapso de traqueia. 

Os programas de redução de peso, objetivando o tratamento da obesidade, envolvem a informação das doenças relacionadas ao excesso de peso, a conscientização e colaboração do tutor, a instituição de dieta específica para restrição calórica, à instituição de um plano de atividades físicas e a monitoração periódica do paciente.

Alguns tutores acreditam na falsa ideia de que apenas com a redução da quantidade de ração que já utilizam esses pacientes serão capazes de sofrer perda de peso, porém essa atitude pode levar a uma subnutrição, perda de massa muscular, sem que ocorra a efetiva perda de peso.

A instituição de dieta específica para perda de peso é guiada pelo cálculo de calorias a serem administradas para um determinado peso ideal, baseada nas necessidades energéticas de manutenção, e a escolha de dietas específicas que contenham menor densidade calórica, com alto teor de fibra e baixa concentração de gordura. 

A eficácia das dietas de restrição calórica pode ser otimizada com adição de nutracêuticos, que serão prescritos de acordo com a necessidade de cada paciente.

A atividade física é a forma mais eficiente de aumentar o gasto energético e de minimizar as conseqüências da perda de peso sobre a atividade metabólica do indivíduo, como a diminuição da massa magra corpórea. 

A obesidade precisa ser encarada como uma doença crônica e que acarreta prejuízos a saúde e a longevidade dos pacientes caninos e felinos.

Dra Glauce Medeiros

Médica veterinária formada pela FATENE. Pós-graduanda em Endocrinologia Veterinária. Membro da Associação Brasileira de Endocrinologia Veterinária – ABEV. Atua na clinica médica e cirúrgica de pequenos animais. Palestrante de eventos voltados aos tutores de pets com foco na Medicina preventiva. Formada também em  Administração e Pós-graduada em Gestão Escolar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *