Será que eu devo cruzar o meu cachorro?

Hoje vou responder uma questão que já me fizeram muitas vezes no consultório: “Dr, eu tenho que botar a minha cadelinha ou o meu cachorro para cruzar, pois já me disseram que faz mal se não botar.”

Aí, o que dizem para eles é que a gestação protege contra tumor de mama e que é preciso cruzar uma ou duas vezes. No caso dos machos, fala-se sobre comportamento, afirmando que o cachorro que não cruza fica manso e com o comportamento infantilizado.

Vamos desvendar esses mitos!

1. A respeito das fêmeas, o que acontece é o inverso: para se proteger do tumor de mama, elas devem ser castradas antes do primeiro cio para ter até 90% menos chances de desenvolver tumor. Se a cirurgia for feita antes do segundo cia, o índice cai para 80% e, a partir do terceiro cio, não tem mais efeito protetor.

A fêmea que tem várias gestações está forçando o seu tecido mamário a fazer hiperplasia (aumento das mamas) constantemente. Logo, uma fêmea que não tem gestação tem menos chances de ter tumores futuramente. A doença pode acometer qualquer cadela, principalmente nas que recebem anticoncepcionais. As cadelas castradas tem menores chances de desenvolver, mas não estão livres, e cruzar não tem efeito protetor!

Além disso, a gestação debilita muita a cadela. As fêmeas ficam com aspecto envelhecido e também mais fracas. Gestações mal sucedidas podem terminar como piometras (infecção no útero) ou cesáreas, pondo em risco a saúde do seu animal, além de custos bem altos com tratamento. No caso de sucesso, vem outra questão: o que fazer com os filhotes, que podem ser de 2 a 13? E não pensem que é fácil doar! Imaginem dar remédio de verme e vacina para 10 filhotes da sua cadelinha de porte médio a grande. Em um ano estarão aptos a reproduzir. Agora, imaginem que a metade nasceu fêmea! São agora, junto a mãe, 6 ninhadas com um total de 60 filhotes. O que era engraçadinho virou um problemão.

2. No caso do macho, o comportamento é mais uma questão de hábitos e criação, do que o fato dele ter cruzado ou não. Eu tenho um pit bull super carinhoso e já tive animais de raças miniaturas que eram agressivos. Para mim, o fato dele ser infantilizado é até uma vantagem, pois ele é o meu “garoto”! Para quem quer um cão de guarda, o melhor é adestrar e não castrar. Se você tem um animal para companhia, não quer castrar a fêmea e o macho causa transtornos, castre! Você sabia que a cirurgia masculina é bem mais fácil de execução e causa menos transtornos pós-operatórios?

Bom, chegando a minha opinião final, se você não tem um animal para reprodução que vá lhe render financeiramente com a venda dos filhotes, castre! Animais castrados vivem mais e são mais fáceis de criar, pois dão menos trabalho. Imaginem o seu cão ou gato que não faz xixi na casa toda ou a fêmea que não suja seu sofá de sangue, ou gatinha que vai para rua mas não volta com a barriguinha cheia de filhotes, nem mia no telhado a noite toda!

Os animais não se sentem pior por serem castrados, isso são convenções sociais humanas. Castrar evita o abandono e é tudo de bom!