Viagens com o Pet: dicas para seu cãozinho se comportar bem!

As férias estão aí e nesse período muita gente tem vontade de levar junto seus Pets para o merecido descanso. E, hoje em dia, com o aumento das opções Pet Friendly está cada vez mais fácil de isso acontecer.

Mas, e aí?  Quais cuidados se devem ter para uma viagem tranquila e segura para tutores e pets? 

Antes de mais nada, conferir se os lugares que a pessoa pretende se hospedar, comer, visitar e passear são Pet Friendly. Se em alguma ocasião for necessário deixar o Pet sozinho no quarto de hotel, é importante trabalhar um pouco a sua independência para que não se sinta muito ansioso ou amedrontado por estar sozinho num ambiente em que ele não estará acostumado. Antes da viagem, fazer treinos do comando “fica” e de “pequenas separações” para um autocontrole do cão para enfrentar melhor essa situação. E, ao deixá-lo só nesse ambiente novo, colocar algo para distraí-lo, como um osso para roer ou brinquedos dispensadores de comida e, para deixá-lo mais calmo, uma roupa que contenha o cheiro dos tutores, luz e algum som ambiente, de preferência aquele que ele esteja mais habituado.

Se a viagem for feita de avião, ônibus e em alguns casos de carro, será imprescindível o uso da caixa de transporte. Nesses casos, será necessário fazer um trabalho para que o animalzinho se acostume a ficar preso dentro da caixa (dessensibilização). Para isso acontecer é indicado trabalhar com alguma associação positiva, ou seja, associar o objeto a algo muito valioso para o cão (petisco/brinquedos). Aos poucos, ir fazendo que ele entre na caixa e fechar a portinha deixando-o preso pouco a pouco, sempre utilizando algo prazeroso para entretê-lo nesse exercício e, assim, aumentar o tempo até perceber que ele está bem tranquilo dentro da caixa.

Se necessário, levá-lo passear em shoppings ou saguão de aeroportos para também fazê-lo se acostumar com esses ambientes e movimentações tão diferentes para ele.

Se a viagem for acontecer de carro, além da opção da caixa de transporte, para estar em segurança pode-se utilizar a cesta de transporte (onde também há a necessidade de fazer uma dessensibilização) ou o cinto de segurança preso no banco de trás. No entanto, alguns animais não são habituados a andar de carro e, para essas situações, fazê-lo se acostumar primeiro com trechos curtos (ex: uma volta no quarteirão) e ir aumentando gradativamente com ajuda de recompensas para tornar o momento mais agradável. 

Outra dica interessante seria ensinar um “xixi sob comando” para o cão, amenizando o constrangimento do cachorrinho fazer as necessidades em locais inadequados. Assim, ao chegar ao local o tutor tem a chance de induzir seu pet para se aliviar em um pedaço de grama ou um tapetinho e conseguir que ele faça as suas necessidades no local correto. 

Em lugares como praias, parques e campos, muito provavelmente o tutor gostaria de deixar o seu pet com uma certa liberdade, mas mantendo toda a segurança. Então, para estas ocasiões, o uso de um equipamento adequado facilitaria muito, como é o caso da utilização de uma guia retrátil ou guia-longa, permitindo que o pet se sinta mais livre.

Porém, se o tutor nunca utilizou este tipo de equipamento, seria interessante acostumar-se com eles antes, pois demanda um certo manejo para conduzi-los. 

Outro detalhe muito importante, não esquecer de levar o pet ao veterinário para fazer um check-up e confirmar se está tudo bem com sua saúde para fazer a viagem. Ter sempre consigo o contato do veterinário e a carteira de vacinação para uma possível emergência. 

Tudo pronto, tudo preparado, agora é pé na estrada e aproveitar muito estes momentos que serão especiais tanto para o tutor quanto para os pets.

 Boa viagem!

Priscila Furlan

Adestradora da empresa @caocidadao – Adestramento Inteligente em Fortaleza/Ce, método Alexandre Rossi.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *