Vou adotar um gatinho: o que devo fazer?

Bem, a decisão de adotar um gatinho foi tomada e agora você está indo buscá-lo para levar ao seu novo lar! Qual o próximo passo? É importante saber que seu bichano precisa ser primeiramente avaliado por um médico veterinário, pois só ele poderá atestar a saúde do gatinho, explicar sobre as primeiras vacinas e primeiros exames que serão necessários!

Gatinhos filhotes podem iniciar suas vacinas a partir dos 45 ou 60 dias de vida, e existem protocolos variáveis quanto ao número e datas das doses vacinais e somente o seu veterinário poderá determinar o melhor protocolo para o seu filhote, assim como será com o protocolo de vermifugação. Escolha um profissional que confie e siga à risca as recomendações dadas!

adotei um gatinho focinhos urbanos

Agora que seu novo melhor amigo passou pela avaliação médica e está em casa, é hora de por em prática tudo aquilo que você leu anteriormente sobre adaptação da casa antes de adotar um gatinho: ou seja, deixe o gatinho à vontade, não tente forçar uma aproximação, afinal, tudo é novo para ele, o local, as coisas da casa, os cheiros, as pessoas e os irmãos pet.

É super normal que fique escondido nos primeiros dias e que não queira se aproximar muito das pessoas e dos outros animais, esse tempo é variável de gato para gato e devemos respeitá-lo!  

Separe um cômodo da casa para ser o refúgio do gatinho nesse primeiro momento, lá coloque os recipientes de água e ração, caixa de areia (sempre distantes um do outro) e tente deixar o ambiente aconchegante, com caixas (que eles adoram!), camas, arranhadores e você ainda pode fazer uso de cat nip (a erva do gato) ou Feliway (ferormônio felino sintético), tudo para proporcionar bem estar a seu novo amigo.

Os animais tem diferentes personalidades, portanto existem gatos que já vão chegar “se sentindo em casa” e outros levarão tempo para reconhecer aquele ambiente como seu lar. O importante é proporcionar tudo que ele precisa e ter paciência, que tudo ocorrerá naturalmente. Lembre de fechar todos os locais passíveis de fuga!

Caso você já tenha outro animal em casa, é importante fazer uma adaptação entre eles e esse processo deve ser gradual e nunca apressado ou sem critérios, lembre-se que queremos que eles se aceitem e não que virem inimigos! Inicie a apresentação aos poucos, primeiramente só visual pois é importante que se vejam e que um saiba que o outro está ali. Após alguns dias de contato visual, inicie o contato olfativo: troque objetos entre eles (brinquedos, camas), use uma escovinha macia que passe em um e depois no outro, sempre fazendo associação positiva entre eles: oferecendo sachês, brincando, oferecendo petiscos e bastante carinho em ambos. Você também pode colocar cada animal para se alimentar de um lado da porta (separados, mas próximos!) Esse processo ajudará a que um aceite o outro de forma mais passiva e você terá dois animais (ou mais), capazes de viver em harmonia!

E lembre-se: é super normal que seu pet mais antigo fique muito arredio com todos e até mesmo aparentemente revoltado com a presença do novato, mas não é motivo para se desesperar ou desistir de adotar um gatinho, com amor e paciência tudo se encaixa!   

Raquel Garcia

Médica Veterinária formada pela UFERSA-RN. Sócia proprietária da Pró-Vida Animal Clínica Veterinária com atualização em clínica médica de felinos e especialização em andamento em clínica médica e cirúrgica de felinos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *