Viagens de carro: como treinar o pet?

É muito comum hoje em dia os tutores quererem que seus cães os acompanhem nas mais diversas situações e lugares. Para isso, imprescindivelmente o animal precisa estar familiarizado com os automóveis.

O carro, para os cãezinhos, é como uma “toquinha móvel”. Um lugar compacto onde tem muitos cheiros dos tutores, fazendo com que se acalmem e gostem de estar lá.

Porém, para alguns cachorros não é bem assim que acontece. Eles podem associar o carro a coisas desagradáveis, como na época de filhotes que só andavam nele para irem ao veterinário tomar as vacinas ou, até mesmo como os humanos, se sentiam mal com os balanços frequentes.

O que pode ser feito para contornar a situação?

O primeiro passo é preocupar-se com a segurança do pet. As formas mais seguras de transportá-lo são pelas caixinhas de transporte, assento de transporte acoplado ao banco e o cinto de segurança colocado no banco de trás.

Caso o seu animal não esteja acostumado com a caixa de transporte ou com o assento, o indicado é sociabilizá-lo nestes equipamentos em casa.

Para os cachorros que não se sentem bem ao andar de carro é viável procurar um veterinário que possa indicar um medicamento para minimizar o mal-estar. Outra atitude é não alimentar o bichinho duas horas antes dos passeios para evitar enjoos.

Agora, com os cães já seguros, vamos trabalhar o automóvel em si.

Os animais aprendem por associação. Por esse motivo, torna-se importante fazê-las de forma positiva e agradável com o carro, como petiscos, brinquedos favoritos, panos que tenham seus próprios cheiros ou os cheiros de seus tutores e a presença de pessoas importantes para os cães.

Devemos estimular o animal a se familiarizar com o carro gradativamente e esperar que suas reações demonstrem quando é possível prosseguir.

Comece o treino com o carro estacionado em casa, estimulando o cachorro a entrar e sair dele, mas sem forçá-lo. Utilize um petisco saboroso para te ajudar.

Aumente o tempo de permanência do cachorro no carro, distraindo-o com algo que ele valorize muito, dessa forma, o fato de ele estar dentro do carro será algo secundário para o animal.

Ligue o automóvel, vá até a saída de casa e dê uma volta no quarteirão. Realize os treinos com mais frequência para quando o passeio/viagem for realmente acontecer.

Lembrando mais uma vez que quem vai determinar se é possível prosseguir ou não é o próprio cão. Se o animal estiver tranquilo e confiante avance nos treinamentos, caso contrário respeite seus limites. Não tenha pressa e não pule etapas, quanto mais paciência e persistência tiver, mais eficaz será o treino.

Agora, com seu amigo de quatro patas adorando estar no carro, é hora de programar aquela viagem e desfrutar momentos inesquecíveis ao lado do seu peludinho.

Aproveitem e boa viagem!

 

Por Priscila Furlan, adestradora e franqueada da Cão Cidadão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *