A pandemia e o estresse nos animais

A pandemia mudou a rotina das pessoas, mas toda essa mudança também impactou os focinhos. Confira abaixo a relação da pandemia com o estresse em focinhos.

Os cães prezam por ter dias iguais com cuidados no mesmos horários e realizado pelas mesmas pessoas. Essa mudança na rotina dos pets com o  convívio constante com os tutores, falta de atividade física e etc pode levar ao estresse dos nossos amigos peludos. 

O estresse nos focinhos pode se manifestar de diversas maneiras e devemos ficar atentos para saber a melhor forma de lidar com a situação, oferecendo sempre a melhor qualidade de vida aos nossos pets. 

As formas físicas do estresse se manifestar nos focinhos são: 

⁃ AUMENTO lambedura de patas

⁃ Latidos excessivos

⁃ Queda de pelos 

⁃ Recusa a comer

⁃ Destruir objetos 

⁃ Distúrbios intestinais (vômito e diarreia) 

Para evitar que todas as mudanças da pandemia afetem negativamente também os focinhos, é necessário manter a normalidade da rotina dele o máximo possível. 

Confira algumas dicas de atividades que ajudam a manter a rotina e fazer o focinho se sentir no controle da rotina diária dele, reduzindo o estresse.

Cães: 

  • Jogar bolinha
  • Esconde – esconde (estimular curiosidade)
  • Comedouros interativos 
  • Brinquedos 
  • Enriquecimento ambiental 

Gatos:

  • Estimular uso de arranhadores 
  • Caixa de papelão 
  • Bolinha de papel 

Brinque com seu focinho, ofereça a ele momentos de interação e atividade física. Vale de tudo pra espantar o tédio! 

Outro problema bastante comum é quando o tutor precisa voltar ao trabalho nos deparamos com a ansiedade de separação, que leva a uma condição de pânico. Ele pode se tornar destrutivo ao ser deixado sozinho, pode começar a urinar ou defecar, uivar, mastigar, cavar ou tentar escapar de maneira repetida. 

O ideal é preparar os eu focinho para este momento, realizando um retorno gradual às atividades ou até mesmo realizar pequenos ensaios, exemplo, deixar o pet sozinho em algum cômodo, realizar pequenas saídas. Desta forma ele começa a se acostumar novamente a ficar sem você por um tempo.

Como os focinhos não compreendem o que está acontecendo com o mundo, é função do tutor fazer com que este momento não seja tão traumatizante para ele oferecendo amor, afeto, cuidados, diversão e bastante paciência.

Dra. Juliana Furtado Lima Verde

Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Pós-graduada em Dermatologia veterinária – EQUALIS.
Mestranda pela UECE. Membro da Associação Brasileira de Dermatologia Veterinária. Atua na clinica médica, dermatologia e cirúrgica de pequenos animais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *